03 março 2006

Kilas, o Mau da Fita

Pois é, meus amigos. Mais de vinte anos depois, finalmente a RTP resolveu retransmitir o Kilas!!! O velho e tipicamente alfacinha Kilas. O Mau da Fita. O “malandro” por natureza. O “Chuleco” de meia-tijela que “as” punha todas a render para sustentar a madrinha.

Reparem no excerto: “Vivíamos do ar. Do ar, dizia a madrinha, enfurecida com o nosso modo de viver entre o café do bairro, a batota e os cabarets vazios das noitadas lisboetas. Da madrugada! Onde se traficava o nosso pequeno contrabando: tabacos, transístores, antenas, umas miúdas lançadas à vida, postas a render, é claro, e a quem púnhamos nomes de guerra em vez de números: era a Palito LaReine, a Rosa Enfeitada, a Mimi Bocas-Fora, a Lili Bóbó que agora por acaso até é uma senhora…” Fantástico!

Que saudades tinha das tardes passadas em casa do Zézé a ver e rever o filme…… até se ter avariado o bendito vídeo 2000 comprado em Manaus, que ninguém conseguia consertar. Usava umas cassetes como as de música: gravavam dos dois lados! E assim ficou inutilizada tão preciosa relíquia.

Perdi a conta, ao longo destes anos, a quantas portas bati, em quantas lojas entrei, quantos mails, faxes, cartas enviei para conseguir uma cópia do filme. Em vão. A resposta era sempre a mesma: lamentamos, mas o filme nunca foi editado em VHS e muito menos em DVD. Só a RTP é que o poderá eventualmente disponibilizar. Mas não disponibilizou! Até um fax enviei para casa do José Fonseca e Costa, o realizador do filme (que diga-se de passagem, nem se dignou ao menos “mandar” responder). Contactei tudo quanto é instituto, fundação, instituição, associação que estivessem relacionados com o cinema nacional. Nada!!! E finalmente deu na televisão, perdido entre as produções americanas de discutível qualidade e as telenovelas brasileiras que inundam os nossos canais, alguém se lembrou que em Portugal também há obras de arte que merecem ser vistas, como este Kilas, o Mau da Fita.

E já matei as saudades!

6 Comments:

Anonymous Isabel Esteves said...

Abençoada RTP!
pois finalmente, passados que são quase 10 anos, vou deixar de te ouvir perguntar às pessoas " Por acaso, não tens o filme Kilas, o mau da fita?" e posteriormente " O quê! não sabes do que é que estou a falar! mas como? como é que nunca ouvista falar neste filme", seguido sempre de uma ou outra citação tua de algumas partes que te ficaram na memória.
Mas estás a vêr Zu, mais um "sonho" realizado! Agora já podes pensar noutro para colocar no lugar deste!
Beijos

3/3/06 17:05  
Blogger Junior said...

Hábito secular - Dassss!!!.

Por mais quanto tempo a galinha da vizinha será sempre, inequivocamente e sem excepção melhor do que a minha?

Fosse o Kilas o único exemplo e seríamos todos muito mais felizes.

E assim se condecoram os mortos que dos vivos não merece a pena e tampouco se faz memória.

Um abraço!!

6/3/06 08:54  
Blogger Dias da Costa said...

Ola Nandinho...
Entao?
Ca temos o teu blog...
O sonho de uma vida que agora ves ser realizado... Carago!!!
Pelo menos ja podes ir feliz, 2 * Campeao europeu, 2 * campeao do mundo, 1 Taça Uefa... e mts campeonatos... Q ja vieram e q estao pra vir...
Pronto... e com esta me vou...
Saudações portistas...


Pedro Dias da Costa

7/3/06 12:35  
Anonymous Paulo Fialho said...

O Kilas é de facto um marco inesquecível para quem o vê. Humor corrosivo q.b. com o malogrado Mário Viegas (talvez o maior comediante que os Monthy Python criaram) e uma Lia Gama com um fígado praticamente "naíve" nos principais papeis.
Uma salva também para esse mito vivo da nossa música (será escusado referir a cidade berço de mais este génio): Sérgio Godinho. Compõe aqui uma das bandas sonoras mais bem conseguidas de todos os tempos. Músicas que ainda hoje Sérgio toca ao vivo (ouvir "É Terça-Feira", "Balada da Rita", "Fado do Kilas", e, "Valsa da Ana").


PS: Desculpa Fernando mas revelaste ingenuidade ao mandar um fax para casa de Fonseca e Costa à espera de uma resposta. Diz-me lá... alguma vez um comunista te deu alguma coisa?


Abraços...

16/3/06 17:07  
Anonymous Anónimo said...

Será que vamos ter outra vez o filme, ou esperamos pelo lançamento em DVD na comemoração dos 50 anos ? Já estou com saudades.

Tones

26/1/08 08:15  
Blogger Paulo Teller said...

Mas pode ter uma cópia digital deste filme magnífico!
Basta pedi-lo por e-mail à Biblioteca Nacional Digital.
Saudações cinéfilas,
PT

15/6/13 07:17  

Enviar um comentário

<< Home